Regimes Próprios

Concórdia aumenta repasses ao Iprecon e déficit do instituto começa a ser amortizado

Lenir Comin IpreconAs atuais insuficiências financeiras na ordem de R$ 37 milhões do Instituto de Previdência Social dos Servidores Públicos do Município de Concórdia (Iprecon) começaram a ser amortizadas em janeiro deste ano, após ser aprovado um projeto de lei que indica novos repases do município ao instituto com base em um novo cálculo atuarial. Segundo a diretora-presidente do Iprecon, Lenir Comin, quando a atual diretoria assumiu o instituto, no início de 2017, houve uma mudança na forma do cálculo das insuficiências que antes considerava também a geração futura que entraria no serviço público municipal. “Até então, era permitido que o cálculo atuarial considerasse que para cada servidor aposentado, um entraria em atividade. Mas esse tipo de cálculo foi proibido em 2016, pelo então Ministério da Previdência, e encontramos um instituto com insuficiências muito maiores do que o estimado até aquele momento”, destaca Lenir.

Ela diz ainda que após serem feitos novos cálculos extinguindo a utilização da geração futura, as insuficiências passaram de R$ 17 milhões para R$ 40 milhões. “Como nós guardamos 2% das nossas receitas em um fundo de despesas administrativas, usamos uma parte dos R$ 4 milhões que já tínhamos acumulado nesse fundo para abater parte desse déficit”, explica Lenir. Ela conta que dos R$ 4 milhões acumulado no fundo de despesas administrativas, R$ 3 milhões foram destinados ao abatimento do déficit.

Ainda assim, novos repasses do município eram necessários para garantir que as insuficiências fossem amortizadas ao longo dos anos. Por isso, foi encaminhado um projeto de lei solicitando o aumento dos repases municipais, que subiram de R$ 130 mil mensais para R$ 175 mil. “Esses repasses serão feitos ao longo de 35 anos. Mas acreditamos que, se não houver reforma da previdência, apenas esse montante mensal não será o suficiente para conter o crescimento da folha de pagamentos”, destaca Lenir.

O Iprecon também realizou um processo de redução de custos com auxílio doença por meio de perícias semanais. “Além disso, buscamos economizar na questão administrativa, mas nossa maior despesa é com benefícios e ela continuará crescendo”. A diretora-presidente do Iprecon ressalta que até o momento não está sendo cogitada a possibilidade de aumento na alíquota de contribuição, pois o cálculo atuarial não apresentou essa necessidade.