Mercado de capitais

Greenfield denuncia ex-gestores de Previ, Petros e Funcef por FIP Global Equity

A Força-Tarefa Greenfield denunciou 34 pessoas por operações irregulares no Fundo de Investimento em Participações Global Equity Properties (FIP GEP) que geraram prejuízos milionários ao fundo e a seus cotistas, entre 2009 e 2014. Todos os denunciados – gestores do fundo e ex-executivos dos fundos de previdência complementar Funcef, Petros e Previ – devem responder por gestão temerária.

Os gestores do FIP vão responder também por desvio de recursos e Marco Antônio de Freitas Pinheiro, diretor-executivo do FIP GEP, responderá por falsificação de quatro laudos de avaliação que induziram o comitê de investimentos do FIP a erro.

Os procuradores que integram a FT pedem, na denúncia, a reparação econômica e moral das vítimas, no valor estimado de R$ 1,3 bilhão, o equivalente ao triplo dos aportes realizados pelos fundos de previdência complementar, correspondente a cerca de R$ 456 milhões (valores atualizados pela Selic de abril de 2014 a janeiro de 2019).

Entre os denunciados, estão Carlos Alberto Caser, ex-presidente da Funcef, e Demósthenes Marques e Maurício Marcellini Pereira, que ocuparam o cargo de diretor de investimentos da EFPC da Caixa; Wagner Pinheiro de Oliveira, ex-presidente da Petros; e Renê Sanda, ex-diretor de investimentos da Previ. O FIP tem como cotistas Funcef, Petros, Previ, Celos, Fapes, Infraprev e Banesprev.